DICAS AME/RJ

22.03.2017

Confira os erros mais comuns no Imposto de Renda e saiba evitá-los

Alguns erros frequentes no preenchimento da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (DIRPF) acabam deixando os contribuintes na malha fina. Segundo a Receita Federal, os problemas nem sempre acontecem por má fé e o contribuinte pode verificar a pendência no extrato do IR 2017, antes mesmo de ser intimado pelo órgão, para corrigir eventuais enganos.

Confira os erros mais frequentes:

1 - Omissão de rendimentos do titular, em especial de uma segunda fonte, tais como honorários, alugueis e palestras;

2 - Omissão de rendimentos de dependente;

3 - Informação de valor de imposto de renda retido na fonte maior do que o que consta na declaração do empregador;

4 - Dependentes que não preenchem as condições, em especial por contarem de outra declaração ou terem apresentado declaração em seu nome;

5 - Despesas médicas não realizadas, de titular e de dependentes e ainda de não dependentes relativas a consultas, Planos de Saúde e Clínicas;

6 - Contribuições de empregadas domésticas não realizadas.

Este ano, os contribuintes têm até 28 de abril para entregar o documento à Receita. Se o contribuinte entregar depois do prazo ou se não declarar, caso seja obrigado, poderá ter de pagar multa de 1% ao mês ou fração de atraso, sobre o total do imposto devido, ainda que integralmente pago, ou uma multa mínima de R$ 165,74. Para declarar o IRPF 2017 acesse https://idg.receita.fazenda.gov.br/.

Fonte: Extra.

 

Sete bons motivos para consumir óleo de coco

O óleo de coco está fazendo a cabeça não só de quem deseja emagrecer, mas também daqueles que precisam controlar problemas de saúde. Quatro colheres de sopa por dia é o suficiente para reduzir o colesterol ruim (LDL) e controlar os níveis de açúcar no sangue.

Vendido em lojas de produtos naturais e algumas farmácias, o óleo de coco apresenta duas versões: em cápsulas, ingeridas geralmente no horário de almoço ou do jantar, e a versão em óleo, que pode ser adicionada no preparo de alimentos, em pastas e patês para acompanhar torradinhas ou mesmo em vitaminas.

São inúmeros os benefícios que o óleo de coco proporciona ao organismo. Confira alguns deles:

1-Controla a compulsão por carboidratos: O óleo de coco é um alimento que não pode faltar na dieta de quem tem diabetes ou de quem não resiste a uma guloseima. Ele ajuda a manter os níveis estáveis de glicose no sangue e o mais importante: não estimula a liberação de insulina, o que diminui a compulsão por carboidratos. Ao contrário de outros óleos poli-insaturados, que dificultam a entrada de insulina e outros nutrientes dentro das células, o óleo de coco favorece essa entrada e, por isso, a taxa de açúcar no sangue fica normalizada.

2- Promove a saciedade: Por ser uma gordura, o óleo de coco permanece mais tempo no estômago do que um carboidrato, por exemplo, o que aumenta a sensação de saciedade. Com o apetite reduzido fica mais fácil segurar a vontade de petiscar o dia todo, hábito que pode sabotar a dieta e, consequentemente, o desejo de emagrecer.

3- Acelera o metabolismo: Se consumido diariamente, o óleo de coco aumenta o gasto energético do organismo, pois estimula o funcionamento da glândula tireoide, que está diretamente ligada ao nosso metabolismo, o que aumenta a queima de calorias.

4- Melhora a prisão de ventre: O óleo de coco possui componentes que agem normalizando o trânsito intestinal. As ações benéficas também valem no caso de o intestino solto, pois ele ajuda a eliminar bactérias perigosas e favorece o crescimento da flora intestinal saudável.

5- Reduz o colesterol ruim: O óleo de coco também garante a redução do colesterol ruim (LDL) e a elevação do colesterol bom (HDL), diminuindo o risco de doenças cardiovasculares.

6-Fortalece o sistema imunológico: O óleo de coco age no combate e na prevenção de bactérias e fungos que ameaçam nossa saúde e ainda melhora a absorção de nutrientes, reforçando as defesas do organismo. Isso ocorre devido ao ácido láurico, que tem o poder de combater inúmeras infecções.

7-Combate o envelhecimento precoce: O óleo de coco promove a diminuição de radicais livres presentes no organismo, responsáveis pelo envelhecimento celular. Isso acontece graças à ação de componentes da vitamina E, presentes no óleo. Os radicais livres são benéficos para o corpo, mas o acúmulo pode causar não só o envelhecimento precoce, como também o desenvolvimento de um câncer em decorrência da oxidação de células saudáveis.

Fonte: Minha Vida

 

Dicas para curtir o Carnaval com saúde

É quase sempre assim: no Carnaval, no embalo da folia, muita gente exagera no consumo de bebida alcoólica. E os efeitos desse exagero podem ser percebidos na famosa ressaca e em disfunções alimentares. Neste período come-se e bebe-se de tudo e, justamente por isso, é preciso mais cuidado com a alimentação. Para evitar a ressaca e a desidratação, é necessário alternar uma bebida e outra com a ingestão bastante água. 

A nutricionista do Hospital Federal da Lagoa, no Rio de Janeiro, Luciana Abdu, explica que o álcool acaba estimulando as pessoas a irem ao banheiro mais vezes. Daí a necessidade de ingerir líquidos como água, sucos naturais e água de coco. Isso vai colaborar para que o folião curta a festa sem prejudicar a saúde. 

Luciana lembra que a quantidade de consumo de água deve ser aumentada se a pessoa estiver exposta ao sol às altas temperaturas. Uma boa dica é andar sempre com uma garrafinha de água. O ideal é beber uma garrafa de 500 ml de água por hora. 

Mas não é só a hidratação que conta para manter o corpo saudável e bem disposto. Cuidar da alimentação depois da folia também é essencial para que o organismo não sinta os efeitos dos exageros alimentares. A orientação é consumir alimentos leves e coloridos, com muita variedade de legumes e verduras. 

Veja algumas dicas para cuidados antes, durante e depois das festas: 

Antes

- Hidrate-se com antecedência! Dê preferência à água e aos sucos naturais, consumindo de 2 a 3 litros diariamente. Evite ao máximo os refrigerantes, pois possuem baixíssimo poder de hidratação;

- Dê preferência a alimentos ricos em carboidratos (pão, macarrão, batata, frutas) para que tenha bastante energia na hora da festa, não esquecendo de consumir as verduras e os legumes;

- Evite frituras e alimentos ricos em gorduras; Prefira carnes magras como filé de frango, de peixe ou peito de peru;

- Pratique atividade física, principalmente aeróbica, para aumentar a resistência física e aguentar o ritmo até o final da festa.

Durante

- Hidrate-se a todo o momento! A perda de água através da transpiração é muito intensa e, junto com ela, perdem-se muitos eletrólitos, como sódio, potássio, magnésio e cloro;

- O consumo de bebidas alcoólicas deve ser feito com moderação e nunca com o estômago vazio. Acostume-se, também, a intercalar as bebidas alcoólicas com muita água; 

- Alimente-se durante a festa, consumindo alimentos leves. Para facilitar, a dica é sempre levar consigo barrinhas de cereais e beber constantemente sucos de frutas. Assim, também estará repondo a energia gasta durante a folia. 

- Nada de consumir frituras durante a festa. Além de apresentarem um alto teor de gordura, podem dar a sensação de estômago pesado e moleza; 

Após 

Para aqueles que exageraram, este é o dia da ressaca. Para melhorar os sintomas de mal estar, aí vão algumas dicas preciosas: 

- Repousar é essencial. Descanse e relaxe para recarregar as energias para os outros dias de festa;

- A ingestão de água e suco durante todo o dia vai refletir também no tempo da recuperação. Por isso, tomar muita água e suco de frutas, mesmo no momento de descanso, é fundamental para acelerar o processo de recuperação do corpo;

- Consuma alimentos leves e ricos em carboidratos, com muitas frutas e verduras. Dê preferência às sopas e caldos, evitando, principalmente, alimentos muito gordurosos.

Fonte: BVS/Ministério da Saúde

 

Parar de fumar é a melhor prevenção do câncer no pulmão

Recentemente, a apresentadora Ana Maria Braga revelou no ‘Mais Você’ que passou por cirurgia para retirada de um tumor cancerígeno no pulmão esquerdo. É a terceira vez que ela luta contra a doença – antes, a pele e o intestino haviam sido atingidos. Felizmente, o tumor estava em estágio inicial (media 6 milímetros) e as chances de cura são próximas a 100%.

Ana Maria disse que decidiu compartilhar o susto que levou com os telespectadores a fim de alertá-los para os problemas decorrentes do vicio do tabagismo – fumante de longa data, a apresentadora só largou o cigarro quando recebeu o terceiro diagnóstico.

De acordo com o pneumologista Ricardo Meirelles, o fato de Ana Maria ter continuado fumando após dois cânceres pode ter aumentado o risco de a doença se manifestar novamente. Segundo ele, existem 60 substâncias cancerígenas na fumaça do cigarro “Se o paciente continua inalando isso, aumentam os riscos de surgir um novo tumor”, disse o médico, responsável pela Clínica de Tratamento do Tabagismo do Grupo COI (Clinicas Oncológicas Integradas) “Ao receber o tratamento, é importante que o busque apoio para parar de fumar imediatamente”, completa.

Além do câncer, o tabaco esta relacionado a aneurismas, tuberculose, enfisema pulmonar, gastrite, osteoporose e catarata, entre outros problemas. Entender que o tabagismo é uma dependência química, reconhecer quanto à ajuda médica é necessária e conhecer os tratamentos disponíveis é fundamental para parar de fumar. O diagnóstico precoce da doença também permite a alta chance de cura.

Segundo o oncologista Mauro Zukin, diretor técnico do Grupo COI, a tomografia é, hoje, o único exame capaz de detectar o câncer de pulmão “Por isso, há dificuldade de se conseguir um programa amplo de diagnóstico precoce em grandes populações com fatores de risco, que incluem fumantes e ex-tabagistas”, disse Zukin.

Após os 55 anos, o ideal é realizar o exame anualmente, durante três anos seguidos. Se não for constatada alteração, a sequência é interrompida. Por ano, surgem cerca de 30 mil novos casos de câncer no pulmão no Brasil. Em estágio avançado, o câncer de pulmão provoca tosse, dor torácica, falta de ar, emagrecimento e escarro com sangue.

De acordo com o oncologista, é possível definir, pelo menos, 15 subtipos de câncer no pulmão, conforme suas características genéticas “Todo tumor é uma célula que sofreu mutação e passou a se multiplicar desordenadamente, tornando-se maligna. Alguns subtipos têm apenas uma mutação, outros têm várias, o que pode conferir muita agressividade ao tumor, mesmo que ele seja pequeno”explicou Zukin.

Fonte: Extra

Mais de 90% dos casos de câncer de pulmão estão associados ao tabagismo e a mortalidade é maior paraaqueles que continuam fumando. Não há um número mínimo de cigarros consumidos ao dia considerado seguro! Vale lembrar ainda dos chamados fumantes passivos, ou seja, pessoas expostas à fumaça do cigarro, que também estão sujeitas a desenvolver a doença. Portanto, a primeira medida a ser tomada para prevenir o câncer de pulmão é parar de fumar. Adotar hábitos saudáveis - alimentação balanceada, a prática de atividades físicas, o gerenciamento do estresse - é importante como aliado da prevenção desta doença.

Dicas para se proteger do câncer – Clique aqui


Alzheimer: como amenizar os efeitos da doença

A memória vai enfraquecendo, e o raciocínio já não é mais o mesmo. Fatores que para muita gente são características normais do envelhecimento são também os sintomas iniciais de uma das doenças mais comuns entre idosos no mundo todo. Comemorado hoje, o Dia Mundial da Conscientização sobre a Doença de Alzheimer traz à discussão o tema que ocorre em aproximadamente 60% dos casos de demência entre idosos.

O Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro que leva à perda progressiva de memória, especialmente a recente. O brasileiro com Alzheimer leva mais de três anos para obter o diagnóstico, já que seus sintomas são associados ao processo natural de envelhecimento. Estima-se que cerca de 35,6 milhões de idosos sofrem com o mal em todo o mundo, 1,2 milhão apenas no Brasil. O estilo de vida é determinante para a doença: entre os fatores de risco, estão obesidade, diabetes, hipertensão, sedentarismo e tabagismo. 

Pouca gente sabe, mas é possível retardar e proteger a mente contra o mal de Alzheimer através de exercícios que estimulam o cérebro. A manutenção das atividades intelectuais e sociais, assim como o nível de escolaridade, reduzem os riscos de ter a doença. “As atividades físicas aeróbicas, a cafeína, a leitura, o pensamento positivo e uma boa noite de sono são pequenas atitudes que podem contribuir para prevenir a doença”, afirma Leonardo Souza, médico formado pela UFF e pós-graduado em Ciências da Fisiologia Humana.

8 atividades estimulantes para o cérebro que podem ajudar a afastar a doença:

1. Jogos de raciocínio e estímulo à memória, como xadrez, sudoku e palavras-cruzadas.

2. Ler revistas e jornais diariamente e manter-se atualizado com os acontecimentos do mundo.

3. Aprender a tocar um instrumento, desenhar e pintar.

4. Exercitar a atenção. É possível treinar esta função com atitudes simples, como observar os detalhes de objetos pela casa.

5. Fazer caminhos diferentes para ir a lugares habituais, como o local de trabalho. Traçar novas rotas é estimulante, pois nos obriga a sair do “modo automático”.

6. Manter uma dieta equilibrada. A atitude colabora para a perda de peso e ganho de memória, dois fatores importantes para a prevenção do Alzheimer. Alimentos com vitaminas B12, tiamina, ácido fólico e ômega-3 ajudam na memorização. Frutas com alto índice de antioxidantes também colaboram.

7. Praticar exercícios regularmente. Uma caminhada pela manhã ajuda a manter a saúde mental, além de contribuir para o combate à hipertensão, que é um fator de risco para o mal de Alzheimer.

8. Manter o bom humor e fugir do estresse, já que a depressão é um dos grandes vilões da doença.

Fontes: O Dia; Bolsa da Mulher

10 passos para evitar vários tipos de câncer

Atitudes simples de serem incorporadas ao dia-a-dia são fundamentais para prevenir o câncer, que atualmente é a segunda maior causa de morte entre a população, segundo o IBGE. Isso se deve, principalmente, à maior exposição aos fatores de risco, como o cigarro, alimentação inadequada e o abuso do álcool. Em contrapartida, quem segue uma vida mais saudável consegue diminuir os riscos de ter a doença. O Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) recomenda 10 dicasque podem auxiliar a prevenir o surgimento da doença. Confira:

1. Não fume. O cigarro carrega cerca de 4720 substâncias, sendo mais de 400 delas altamente cancerígenas. Mesmo uma pequena quantidade de tabaco pode fazer um grande estrago. 

2. Não abuse de bebidas alcoólicas. O álcool aumenta a chance de desenvolvimento de alguns tumores, como intestino, esôfago e fígado. Além disso, ele potencializa os efeitos do tabaco.

3. Mantenha hábitos de sexo seguro. Use camisinha. O contato com alguns vírus transmitidos sexualmente, como o papiloma vírus humano (HPV), pode desencadear alguns tipos de câncer. Por isso, a importância do uso da camisinha - até mesmo para o sexo oral.

4. Proteja-se contra a hepatite. O sexo seguro é caminho, ainda, para evitar os vírus da hepatite B e C, ambos com potencial para levar ao câncer de fígado.

5. Evite o consumo excessivo de açúcares, de gorduras, de carne vermelha, de porco e das processadas. Invista em uma dieta saudável, rica em verduras, legumes e frutas. O açúcar não tem relação direta com os diversos tipos de câncer. O açúcar, quando consumido em excesso, faz o organismo liberar muita insulina para metabolizá-lo. A insulina muito alta aumenta a produção da citocina pró-inflamatória. Quanto maior a quantidade dessa substância, maiores as chances de câncer. A carne vermelha traz uma série de benefícios à saúde, mas não deve ser consumida em excesso, pois não se sabe exatamente quais elementos das carnes (de boi e de porco) são cancerígenas. Frutas, legumes e verduras são ricas em fibras, o que protege o intestino contra o câncer. 

6. Evite o consumo de alimentos ricos em sódio e conservantes. Vale reforçar a importância de evitar o consumo de alimentos com muito sódio e conservantes, como é o caso dos enlatados, embutidos e fast foods em geral.

7. Cuidado com o sol. Use filtro solar diariamente e evite a exposição entre 10h e 16h. Os raios UVA e UVB, emanados pelo sol, são os responsáveis pelas alterações celulares que levam ao câncer de pele Na praia ou na piscina, lance mão, também, de barreiras físicas, como chapéu, camiseta e guarda-sol. 

8. Pratique atividades físicas todos os dias. A recomendação é de que o exercício tenha duração mínima de 30 minutos. Atividades físicas promovem um bem geral ao organismo e também protege contra o câncer. Isso se deve graças à capacidade, em especial de exercícios aeróbicos, de diminuir a circulação das citocinas pró-inflamatórias em nosso organismo. 

9. Mantenha-se atento à sua saúde Procure assistência especializada caso note qualquer anormalidade em seu corpo. É importante que se preste atenção no corpo, pois só assim é possível notar a presença de algum caroço estranho, uma íngua, mancha na pele ou outro sinal.

10. Faça um check-up anual. Realize todos os exames de diagnóstico precoce indicados pelo seu médico. A mamografia - para detectar o câncer de mama e coleta do PSA – para detectar câncer de próstata são exames fundamentais e devem ser realizados anualmente.

Fonte: http://www.icesp.org.br/

Livros recomendados pela AME/RJ

Confira 4 livros que não podem faltar na sua biblioteca!

"Cabral contra Paúl - A Polícia Militar de joelhos", como o próprio título revela, desnuda o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral e suas políticas de “insegurança” pública.

“A Ditadura de Terno e Gravata” narra a mobilização dos PMs e Bombeiros nos anos de 2011 e 2012, incluindo as represálias do governo Sérgio Cabral e a prisão em Bangu 1.

“UPP - uma farsa eleitoral” conta toda a verdade sobre os erros do governo na implantação do projeto, com destaque para o sofrimento dos Policiais Militares que integram os efetivos das Unidades de Polícia Pacificadora.

Autor: Ricardo Pául, Coronel Reformado da Polícia Militar do Rio de Janeiro.

“Fogo Urbano”.

Emir lança mão de sua longa experiência como policial (e, naturalmente, de informações privilegiadas), para fazer o corpo de delito da desconstrução institucional da UPP. Na figura de Pega Eu, personagem principal de sua história, se ergue a engenharia do tráfico, que, como um vírus hospitalar, arquiteta sua permanência nas artérias da favela, aos olhos da estratégia armada do governo e da polícia, que, sem pretender, termina por pacificar o território para o bandido vender droga. (Sebastião Maranhão)

Autor: Emir Laranjeira, Coronel Reformado da Polícia Militar do Rio de Janeiro.

Cuidados com o corpo em dias muito quentes

Dias de calor intenso podem causar danos à saúde se não forem tomados os cuidados adequados. A seguir, confira como passar qualquer dia de calorão sem ficar no sufoco!

Hidratação em primeiro lugar

Nos dias quentes, o corpo precisa liberar calor por meio do suor para manter a temperatura corporal - eliminando água e sais minerais. De acordo com a nutricionista Flávia Ferazzo, sem a quantidade de água e sais minerais necessários, a pessoa fica com o metabolismo comprometido, podendo ter mais chances de sofrer lesões musculares, tonturas, cãibras, diminuição do desempenho físico, menor disposição e dificuldades de concentração.

“A sede é um sintoma tardio de falta de água - significa que o nosso corpo já está sofrendo uma pequena desidratação”, explica a nutricionista. Por isso, é recomendado beber água aos poucos durante o dia, antes que a sede apareça. Uma dica para saber se seu corpo precisa de líquido é a urina - se for ao banheiro e perceber que ela está com cor escura e odores fortes, você está ingerindo pouca água. A urina deve estar bem clara, quase transparente!

Alimente-se bem

Algumas frutas e vegetais apresentam grandes quantidades de água em sua composição. A melancia, por exemplo, tem mais de 90% do seu peso em água, assim como as folhas verdes. "Outra fonte importante é o leite, que possui mais de 80% de água em sua composição", declara Flávia Ferazzo. Além de serem ricas em líquidos, as frutas e verduras são fonte de potássio, mineral que precisa ser resposto quando há uma produção de suor muito intensa. "Portanto, invista também nos sucos de frutas para repor a água e os sais minerais perdidos em dias quentes", recomenda a nutricionista.

O consumo de gorduras deve ser evitado em dias muito quentes, pois elas não são bem metabolizadas, por conta da perda de líquidos do organismo. O resultado de um almoço cheio de frituras, por exemplo, pode ser uma sensação de mal-estar e desconforto algum tempo depois.

Exercícios físicos

Durante a atividade física, a pessoa se desidrata e perde muito sódio e potássio. É preciso ingerir líquidos: "Apesar de não fornecer todos os nutrientes que os isotônicos possuem, a água já pode ser suficiente para controlar a temperatura corporal, retardar fadiga, prevenir câimbras e evitar o aumento da frequência cardíaca", conta.

Nos dias quentes, a perda de fluídos no suor é ainda maior e pode variar conforme a intensidade do exercício. Quanto mais intensa e longa for a atividade física, maior deverá ser a quantidade de água pó bebida isotônica ingerida. Confira a dica da nutricionista Flávia Ferazzo para manter a hidratação antes, durante a após a atividade física nos dias quentes:

- Antes do exercício: tome de 400 a 600ml de água no mínimo duas horas antes de iniciar o exercício;

- Durante o exercício: caso o exercício tenha mais de uma hora de duração, tomar de 150ml a 350ml a cada 20 ou 30 minutos;

- Após o exercício: beba o suficiente para matar a sua sede.

Use roupas leves

A dermatologista Sara Bragança, membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, explica que o ideal é usar tecidos de algodão e malha - que absorvem o suor - e evitar tecidos sintéticos, que atrapalham a evaporação da transpiração. "Também é importante evitar roupas de cores escuras, que absorvem mais o calor por não refletir a luz solar", conta. Para evitar alergias e outros problemas de pele, procure lavar as roupas sempre que usá-las, sem repeti-las, e não usar peças de outras pessoas.

Para dormir fresquinho

Um dos maiores incômodos dos dias quentes é a hora de dormir, principalmente para pessoas que não têm um ventilador no quarto. A dermatologista Sara Bragança aconselha tomar um banho frio antes de deitar e evitar alimentos como chás e leite quente. "O ideal é usar roupas de dormir frescas, manter o quarto arejado com as janelas abertas e não usar qualquer tipo de cobertor", diz.

Transpirando demais?

Para manter o efeito do desodorante o dia inteiro, a dermatologista Sara Bragança recomenda aplicar um antitranspirante logo após o banho, pois ele obstrui os ductos das glândulas sudoríparas, reduzindo a produção de suor. Manter axilas e virilha também depiladas ajuda a evaporar o suor e diminuir a proliferação de bactérias, responsáveis pelo mau cheiro. Caso você sofra com suor nos pés, é possível usar talco ou mesmo o antitranspirante usado nas axilas, que funcionará reduzindo a transpiração dessa área também.

Fuja do sol!

A temperatura corporal interna de uma pessoa deve ser de 37º C, independente do horário do dia. Para que o corpo não perca muito líquidos no esforço de se manter essa temperatura ideal, evite ficar exposto ao sol, principalmente, das 10 às 16 horas.

A exposição excessiva ao sol pode causar hipertermia, que é quando o corpo não consegue mais estabilizar o calor interno. "Nesse estágio, o organismo direciona toda sua energia para tentar dissipar o calor e, assim, algumas células param de funcionar, podendo causar desmaios graves", diz o fisiologista do esporte Daniel Portella, da Secretaria de Esportes de São Caetano do Sul.

Fonte: Minha Vida

Cinco hábitos que fazem você parecer mais velho

Inúmeros fatores influenciam o aspecto visual de uma pessoa, desde a dieta até os vícios e a maneira como ela lida com as suas obrigações diárias. O resultado de tudo isso pode não só afetar a saúde como ainda fazer com que a aparência não corresponda à verdadeira idade. 

Fazer dieta

Se existe um lado ruim na magreza, está representado na perda de gordura facial, que causa uma aparência envelhecida. As dietas io-iô também favorecem o envelhecimento prematuro, porque o ganho de peso causa flacidez na pele, além de afetar o metabolismo, tornando-o mais lento.

Esfregar os olhos

Esfregar os olhos escurece a pele ao redor. Com o passar do tempo o pigmento fica ainda mais escuro, adicionando anos à aparência. Além disso as mudanças no contorno facial fazem com que a distância entre a pálpebra inferior e as maçãs do rosto aumente, deixando os olhos mais fundos e dando a sensação de olheiras mais escuras e a expressão

Driblar o sono

Dormir é essencial para repor energia e ajudar na concentração. Um estudo da Universidade de Chicago publicado na "Journal of the American Medical Association" defende que poucas horas de descanso noturno implicam uma queda das taxas do hormônio GH, cuja deficiência está associada a sintomas de velhice: acúmulo de tecido adiposo, flacidez.

Dormir de lado

A posição fetal pode ser confortável, mas é ruim para a pele: pressionar o rosto no travesseiro marca a pele e causa rugas. O ideal é treinar para dormir de barriga para cima para evitar o estiramento da pele ao longo dos anos.

Viver sob estresse

O estresse crônico libera hormônios como o cortisol, que favorece o envelhecimento prematuro. Na pele, a pressão emocional é sentida imediatamente porque em situações de sobrecarga a maioria dos nutrientes e oxigênio vai para grandes órgãos, não para a pele.

Fonte: O Globo

“Não é a mamãe”: um retrato cheio de ironia dos anos Dilma

O jornalista e articulista político Guilherme Fiuza reuniu 100 crônicas veiculadas em O Globo, Época e blogs sobre a era de Dilma Rousseff para formar o Não é a mamãe: Para entender a era Dilma, publicado pela Editora Record. Repleto de humor e crítica, o livro promete fazer ligações entre os acontecimentos políticos durante o governo. "A popularidade da presidente cresce continuamente durante a maior parte do seu governo. Mas ela não faz as coisas. Parece que ela ganha terreno por não fazer".

A obra é organizada em cinco partes: “Dilma é a mãe (2010)”, “A faxineira (2011)”, “A babá de Rosemary (2012)”, “A plebiscitária (2013)” e “Mamãe voltou (2014)”. Fiuza chama a faxina feita pela presidente no seu primeiro ano de mandato de “maior mal-entendido da história contemporânea”, já que o Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) era um dos órgãos responsáveis por tocar os projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Não é a Mamãe vai trazer críticas e observações em relação à sociedade e como a opinião pública vê a era da atual presidente. O jornalista explica que a obra reúne os últimos cinco anos, incluindo 2010, período de campanha da petista. O acabamento e o texto inédito de abertura foram construídos no primeiro semestre deste ano. "Vou apresentar como o eleitorado tem reagido a essa era. Não dá para dizer que todas as críticas que existem vão se transformar numa derrota de Dilma".

Fatos que passam despercebidos, de acordo com Fiuza, serão ressaltados em forma de raio-X. "Não está na memória das pessoas o que foi a largada do governo de Dilma. Foram sete ministros demitidos no primeiro ano. É uma coisa inédita na política brasileira. As denúncias foram aparecendo por meio da imprensa e não por transparência do próprio governo. Dilma escolheu os ministros e precisou demitir".

O lançamento oficial do "Não é a mamãe: para entender a era Dilma” acontece quinta-feira (21/8), na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, a partir das 19h30. Imperdível!!!

As maravilhas das frutas para sua pele

Com a chegada do inverno é comum a pele ficar mais ressecada e frágil. As frutas são excelentes fontes vitaminas e sais minerais. Além de ingeridas, elas também podem ser utilizadas como cosméticos naturais para hidratar e tonificar o rosto. Mas atenção: é preciso prestar atenção nas frutas, pois algumas delas não podem ser aplicadas na pele por serem muito ácidas ou cítricas. A banana, por exemplo, é indicada para todos os tipos de pele. Já a maçã é ótima para a pele seca e pele oleosa.

Veja o que as frutas podem fazer por sua pele:

Máscara Relax Fruit = composta por princípios ativos obtidos de frutas verdes, como o abacate por exemplo. Esse tipo de máscara ajuda a reduzir a vermelhidão excessiva e aquela sensação de desconforto. A cor promove calma e um aumento da resistência da pele, tornando-a mais delicada

Máscara Hidro Fruit = utiliza frutas alaranjadas. Ela aumenta o grau de hidratação e promove um ar mais jovial, além de uma textura mais fina. A cor laranja promove a ativação celular, obrigando a pele a responder aos estímulos do produto que contém seus componentes

Máscara Vigor Fruit = utiliza os princípios ativos são obtidos das frutas amareladas. Indicadas para peles que necessitam de mais vigor e firmeza. A cor tem potencial de recuperação

Receitas caseiras:

Máscara de banana = Amasse uma banana, adicione uma colher de mel e meia de maisena. Misture por três minutos e aplique no mesmo momento (não guardar, após o uso jogar fora) Aplique no rosto, deixe agir por 10 minutos. Remova com água morna. A máscara de banana deverá ser reaplicada uma vez por semana, durante um mês. A pele vai ficar mais firme e nutrida.

Máscara de abacate = Descasque e corte o abacate em pedaços. Amasse bem e misture com soro fisiológico até formar um creme homogêneo. Aplique no rosto e deixe agir por 20 minutos. Em seguida, enxágüe com água morna. A máscara de abacate é indicada somente para pele seca.

Máscara de maçã = Rale meia maçã gelada e misture com uma colher de farinha de trigo e duas colheres de sopa de leite. Misture bem, aplique no rosto e deixe agir por 20 minutos. Em seguida, enxágue com água mineral. A máscara de maçã é indicada para peles secas e oleosas.

Dicas:

- Faça um teste antes de usar uma dessas máscaras;

- É aconselhável aplicar a máscara de frutas no rosto durante a noite, para evitar que a acidez natural da fruta em contato com o sol prejudique a pele;

- Se estiver fazendo tratamento dermatológico, a pele precisa descansar para aplicar a máscara de frutas. É recomendável dar uma pausa de dois dias.

 Fonte: R7

Esculturas realistas em exposição no MAM-Rio

Feitas com detalhes impressionantes, as obras do escultor australiano Ron Mueck quase enganam os olhos, que só não confundem sua arte com realidade por conta do tamanho geralmente de grandes proporções. Entre os materiais usados para dar (quase) vida a suas criações estão resina, fibra de vidro e silicone. A inspiração sai de diversos lugares, como fotografias, histórias em quadrinhos, obras de arte históricas e lendas antigas. Tudo isso é misturado para dar origem a um conjunto instigante.

A exposição fica em cartaz até domingo (1º de junho), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Mais informações no site www.mamrio.com.br

Menos sal e mais saúde

Por Luana Leite

Muita gente gosta de realçar o sabor da comida acrescentando sal. Na correria do dia-a-dia, fica difícil não apelar para os congelados e fast food.Você já ouviu falar que o sódio, quando consumido exageradamente, faz mal à saúde. E é verdade. Em excesso, ele aumenta a pressão  arterial, causa a retenção de líquidos, oferecendo o famoso inchaço e é apontado como um “veneno” para a celulite.

Quer ingerir menos sal? Anote essas dicas:

- Comece diminuindo o consumo de sal no preparo das refeições. Prove antes de salgar.

- Para não cair na tentação, retire o saleiro da mesa.

- Consuma alimentos frescos. Evite ao máximo produtos industrializados como molhos prontos, sopas em pó, embutidos e congelados. 

- Se for consumir enlatados, enxágue o conteúdo para remover o excesso de sódio.

- Tempere os alimentos com ervas naturais e especiarias como limão, alho, cebola e salsa,

- Fique atento aos rótulos nutricionais dos alimentos. Opte por alimentos sem gordura trans.

O poder das frutas para o organismo

Maçã para dar saciedade e reduzir o inchaço

A maçã contém pectina, fibra solúvel que “arrasta” a gordura para fora do organismo. Também apresenta uma boa quantidade de potássio, nutriente que elimina o sódio extra do corpo, reduzindo a retenção de líquidos e, com ele, parte do inchaço.

Abacate para reduzir o colesterol

Essa fruta contém ácido oléico, gordura que protege os vasos sanguíneos e o coração contra infartos, tromboses, entupimentos das veias e bloqueia a ação do LDL (“colesterol ruim”). Atenção: o abacate deve ser consumido com moderação, pois é rico em calorias.

 

Banana para diminuir a queimação

A banana, principalmente quando está verde, possui substancias que protegem as paredes estomacais, favorecendo quem sofre com gastrite e azia. Um estudo preliminar cita que a fruta possui um flavonoide conhecido como leucocianidina, que previne contra o desenvolvimento de úlceras estomacais.

Limão para quem tem diabetes

A maior parte dos benefícios da fruta é voltada para a saúde do coração, que não deixa de ser prejudicada quando a pessoa tem diabetes, já que a alta da glicose no sangue desgasta e prejudica as artérias e veias. A alta concentração de ácido nicotínico no limão protege as artérias, prevenindo problemas cardiovasculares, uma tendência para quem tem a doença. O limão também evita hemorragias, devido à presença de ácido cítrico e ácido ascórbico, o que é vantajoso ao paciente com diabetes devido a sua dificuldade de cicatrização. Por fim, a parte branca da fruta e a casca também contém pectina, que auxilia no trânsito intestinal e na saciedade, retardando a absorção dos açúcares.

Uva para proteger o envelhecimento celular

A uva é uma fruta rica em antioxidantes, principalmente na casca e na semente. As pró-antocianidinas, presente nas cascas e sementes da fruta, são considerados super antioxidante, 20 vezes mais potente que a vitamina C e 50 vezes mais que a vitamina E.

Acerola para aumentar a imunidade

Não há fruta com mais vitamina C do que a acerola. De acordo com a Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (TACO) da Unicamp, uma laranja tem cerca de 57 mg de vitamina C, contra 104 mg, aproximadamente, de uma única acerola. E o nutriente é muito importante para o sistema imunológico, pois participa da produção das células de defesa do organismo além de modular o funcionamento da nossa proteção natural.

Morango para blindar o coração

Um estudo conduzido pela Harvard School of Public Health em Boston (Estados Unidos) em 2013 demonstrou que mulheres que consumiam morangos e mirtilos tinham menos chances de infartos do miocárdio. A grande responsável pelo benefício é uma substância chamada antocianina, presente em frutas de coloração vermelha e azul. Ele também ajuda a reduzir a pressão graças à procianidina.

Fonte: www.minhavida.com.br/alimentacao

Como pular o Carnaval sem esquecer da saúde

Não importa onde será sua folia: na praia, no interior ou na cidade, vale seguir algumas dicas para não estragar seu Carnaval.

- Para repor a perda de líquido, beba muita água, água de coco e sucos de frutas, dando preferência aos naturais. Evite refrigerantes e outras opções gasosas.

- Evite longos períodos sem se alimentar. Casos de hipoglicemia são bem comuns nesta época. Para lanches rápidos e práticos, barrinhas de cereal, frutas, biscoitos integrais e frutas secas, como castanha e nozes. Outra opção é consumir picolés de fruta, que espantam o calor e hidratam o organismo.

- Evite comidas pesadas, gordurosas e frituras em geral. Cuidado com alimentos que levam maionese e creme de leite, pois estragam rápido. Falta de higiene pode causar intoxicação alimentar.

- Manere nas bebidas alcoólicas, pois o excesso de álcool provoca desidratação. Tome uma água entre uma bebida e outra.

- Nada de abusar de estimulantes como café e guaraná em pó. Muitas doses podem ocasionar aceleração cardíaca.

- No Carnaval, a música é tocada a altos brados na avenida, em festas e principalmente nos trios elétricos. A dica é evitar ficar perto das caixas de som e, se possível, tentar ir para longe do ambiente com ruído a cada meia hora. Outra opção é usar protetores auriculares.

- Ainda tem gente que esquece o velho conselho: sexo seguro é com camisinha. Não se trata só de evitar a aids, mas doenças como gonorreia, sífilis e HPV.

- Respeite seus limites e descanse. Um repouso de 6 a 8 horas é suficiente para recuperar as energias gastas na folia.

Fonte: Estadão/Saúde.

Alimentos e líquidos ideais para enfrentar o verão

Como economizar energia com seu ar condicionado

O verão segue arrasador, com as temperaturas chegando à marca dos 43ºC. Sendo assim, é inevitável não pensar em gastos com ar condicionado no Rio de Janeiro. Mas você sabia que dá para aliviar o calor sem consumir tanta energia, utilizando aparelhos que priorizam a eficiência energética?

Para entender melhor as alternativas para redução do consumo de energia elétrica nesta época do ano, o engenheiro mecânico, professor da FGV e consultor da certificação LEED, do Green Building Council Brasil, David Gurevitz, dá algumas dicas sobre qual aparelho de ar condicionado comprar, o quanto é possível economizar e ainda quais as marcas indicadas por ele para isso.

Qual a importância da troca dos aparelhos de ar condicionados por modelos mais eficientes?

David: Realizar a troca de um aparelho de ar condicionado mais antigo por um mais moderno gera uma enorme economia de energia. O retorno do dinheiro gasto no novo aparelho pode voltar para o usuário em apenas seis meses – em alguns casos, com o uso diário no verão, o retorno pode ser ainda mais rápido, podendo ser conferido até o fim da estação. Outra grande importância na troca de aparelho é a qualidade do ar. Esses novos aparelhos, além da economia financeira, gastando menos energia, ainda mantém a temperatura estável, e dessa forma a qualidade do ar é melhor.

Qual é a economia média gerada com essa substituição?

David: Se o ar condicionado anterior era um tradicional de janela, a economia pode chegar a 70 – 80%.

Quais são as marcas mais recomendadas e com melhor custo benefício?

David: Recomendo as marcas japonesas (Fujitsu, Daikin e Panasonic) e as coreanas (LG e Samsung). Vale ressaltar que todas as respostas foram baseadas na troca de um ar condicionado modelo tradicional de janela por um modelo Split, do tipo Inverter.

IMPORTANTE! A tecnologia Inverter regula o fluxo de energia do sistema de refrigeração do aparelho, alterando a velocidade do compressor. Isso faz com que o consumo de energia seja reduzido quando é detectado que o ambiente em questão precisa de menos refrigeração ou aquecimento.

Lembre-se: o ar condicionado não precisa ser seu inimigo! O aparelho certo pode gerar economia de até 80%.

Fonte: http://www.condominiosverdes.com.br/como-economizar-energia-com-seu-ar-condicionado/

Cuidados durante as chuvas com raios

Mais de 500 pessoas são atingidas pelas descargas elétricas todos os anos e cerca de 20% resultam em morte. Para evitar acidentes com raios é preciso tomar alguns cuidados, entre eles, não sair de casa durante tempestades e, se estiver na rua, procurar abrigo em prédios que tenham pára-raios ou abrigos subterrâneos, como túneis e metrô. 

Saiba alguns cuidados que podem ajudar a prevenir esses acidentes:

- Desligue aparelhos elétricos das tomadas;

- Fique longe de janelas;

- Não fique próximo de árvores ou postes, porque eles atraem raios;

- Não fique em pé em campo aberto;

- Evite campos de futebol, praias e outros locais abertos;

- Não retire roupas de varais de arame durante as chuvas fortes;

- Mantenha distância de alambrados, cercas, linhas telefônicas e elétricas, assim como estruturas metálicas em geral;

-Permaneça dentro do carro, já que automóveis oferecem excelente proteção contra raios;

- Não fique dentro da água;

- Use o telefone somente em casos de emergência.

Em caso de emergência, ligue para o Corpo de Bombeiros (193).

Fonte: CBM - MG

10 dicas para brincar com segurança na água

Só na última semana, três crianças morreram afogadas em diferentes cidades brasileiras. Duas delas tiveram alguma parte do corpo sugada pelo ralo da piscina, enquanto a última caiu acidentalmente na água. De acordo com dados apurados pela ONG Criança Segura, até os 14 anos o afogamento é a segunda causa mais comum de mortes.

Crianças se expõem aos riscos com mais facilidade porque não são informadas sobre os verdadeiros perigos. O afogamento acontece de maneira silenciosa e muito rápida, por isso elas nunca podem ficar sem a supervisão de um adulto”, afirma Marislaine Lumena, presidente do Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

“O Brasil tem a cultura da fatalidade e a segurança infantil acaba sendo negligenciada. A verdade é que todas essas mortes não acontecem por fatalidade e sim por falta de ações preventivas”, afirma Alessandra Françoia, coordenadora nacional da Criança Segura.

Para diminuir o risco de afogamento entre as crianças, os adultos devem ficar atentos a alguns cuidados básicos. Veja quais são.

1. Equipamento de segurança: boias e outros acessórios de piscina transmitem uma falsa sensação de segurança: eles não são eficazes em caso de afogamento. “A criança deve utilizar um colete salva-vidas, que deixa a brincadeira na água menos perigosa e tão divertida quanto”, aconselha Alessandra Françoia.

2. Supervisão em tempo integral: até os 14 anos, as crianças devem ser supervisionadas constantemente. Cerca de quatro minutos, tempo de atender um telefonema ou conversar com alguém, já são suficientes para que a criança submersa tenha sequelas irreversíveis ou se afogue. “Muitos acidentes ocorrem quando as crianças estão com os amigos, sem a supervisão de um adulto”, reforça Alessandra.

3. Aulas de natação especializadas: a partir dos dois anos, as crianças já podem ser inscritas em aulas de natação para desenvolverem algumas noções de locomoção na água. Aos quatro anos, quando as habilidades motoras já são maiores, é interessante que elas passem por aulas especializadas que simulam afogamento, para que aprendam a lidar com o desespero e gravidade da situação. E, mesmo que os pequenos saibam nadar, os pais precisam ficar de olho.

4. Dificultar o acesso a piscinas, baldes e caixas d’água: apenas 2 centímetros de água já são suficientes para afogar uma criança pequena. Sendo assim, depois de utilizar piscinas infláveis ou baldes de água, os pais devem esvaziá-los para que a criança não volte para a água. Em piscinas maiores, é fundamental que os pais providenciem uma cerca e invistam em sensores de movimento e lonas de proteção, que reduzem o risco de a criança cair acidentalmente na água.

5. Curso de primeiros socorros: pode ser extremamente eficaz em casos mais extremos. Como nas crianças, que têm menos massa muscular, o afogamento ocorre muito rápido, a reanimação cardiopulmonar deve ser feita por alguém habilitado até a emergência chegar. Ainda assim, a criança deve ser encaminhada para o hospital o mais rápido possível.

6. Verificar filtros e sistemas de drenagem das piscinas: as tampas para ralos são simples de serem encontradas e podem evitar acidentes graves. Ao chegar a hotéis ou clubes, os pais devem checar a sucção dos ralos, se eles estão devidamente tampados, e se os equipamentos de limpeza estão fora do alcance das crianças.

7. Respeitar as sinalizações dos Bombeiros: na praia, as placas de perigo servem como um alerta, tanto para adultos como para crianças. Os pais devem evitar essas áreas e procurar um salva-vidas, minimizando o risco de acidentes sem o devido auxílio.

8 .Conscientização: é de extrema importância conversar com as crianças sobre os riscos de afogamento, para que elas saibam da gravidade da situação e estejam sempre alertas. “Falar sobre o perigo de ingerir álcool antes de entrar na água também é fundamental, já que é um agravante para adolescentes”, pontua Marislaine Lumena.

9. Área da piscina livre: brinquedos, parquinhos e outros atrativos para crianças não devem ser colocados perto da área da piscina. “Se ela não tiver uma cerca apropriada, a criança pode acabar derrubando algum brinquedo dentro da água, o que incentiva o mergulho sem a presença dos pais”, diz Marislaine. O ideal é que os objetos fiquem longe da piscina e sob a supervisão dos responsáveis.

10. Diversão com limites: vale também desestimular brincadeiras agressivas na água, como as de dar “caldo” ou que simulam afogamento com a criança. Se ela considerar isso normal, pode acabar repassando o comportamento adiante, com amigos, expondo outras crianças a situações de risco.

Fonte: IG

Salada sim!

Por Luana Leite

Só mesmo uma saladinha para aguentar os dias quentes de calor. A refeição vai bem a qualquer hora do dia, principalmente agora, no verão. Se você quiser incrementar sua salada, a dica é investir em temperos e molhos caseiros, que além de saborosos, fazem bem a saúde. Azeite, limão, vinagre balsâmico, iogurte e frutas são ótimas opções. 

Clique aqui e confira 10 seleções de molhos para deixar sua salada linda, leve e deliciosa! 

Maçã para evitar câncer

Costumam repetir os americanos: "One apple a day keeps the doctor away". E comece a levar a sério o que poderia soar a uma rima tola: uma maçã por dia ajuda, sim, a manter os médicos bem longe. Essa seria, mais ou menos, a tradução do ditado e é verdadeira pelo menos no que diz respeito ao câncer.  De acordo com um estudo polonês, a ingestão diária de pelo menos uma maçã já reduz em 35% o risco de um câncer intestinal.

Clique aqui e veja a matéria

17 regras simples para viver mais e melhor

1 – Nunca se preocupar com as pequenas coisas;
2 – Durma pelo menos 6h a 8 h por dia;
3 – Pratique atividade física de forma moderada;
4 – Descanse pelo menos 20 a 30 minutos após o almoço;
5 – Dedique tempo ao lazer;
6 – Dedique-se a atividades que dão prazer: leitura, cinema, pintura, música, viagens, falar bobagens e… amar bastante!
7 – Elimine o sentimento de culpa;
8 – Sorria sempre, pois não precisa de motivo, é contagioso e usamos cinco vezes menos músculos para sorrir do que para permanecer com o rosto sério e carrancudo;
9 – Ajude ao próximo;
10 – Pratique o bem, sem olhar a quem;
11 – Mentalize sempre pensamentos positivos, eduque o seu cérebro para deixar-se penetrar apenas por coisas boas;
12 – Busque a felicidade. No campo profissional, procure fazer o que gosta. No campo pessoal, tenha em mente que o segredo da felicidade consiste em ter um coração enorme e uma memória curta;
13 – Perdoe;
14 – Lembre-se: não existe felicidade sem sabedoria;
15 – Não fumar e ingerir bebida alcoólica com moderação;
16 – Ingira menos açúcar e menos sal. Aprenda a saborear o açúcar dos alimentos naturais;
17 – Mantenha corpo e mente ocupados.

10 alimentos que te deixam mais feliz

BANANA. A fruta é um carboidrato rico no aminoácido triptofano (cada 100g da banana contém em média 18mg de triptofano). Acontece que este aminoácido é uma substância precursora da serotonina. "Sem serotonina, o organismo fica suscetível a males como depressão, irritabilidade, insônia, ansiedade, mau humor e hiperfagia (aumento exagerado da fome)", explica a nutricionista e bioquímica Lucyanna Kalluf. A serotonina também é considerada como sendo uma substância anorexígena, diminuindo a compulsividade e a fome.

ABACATE. Esta fruta rica em ácido fólico, vitamina B3 (niacinamida) e potássio. O abacate também tem mais proteína que qualquer outra fruta, cerca de 2 g para cada porção de 110 g. Possui, ainda, quantidades úteis de ferro, magnésio e vitaminas C, E e B6. A niacinamida (Vitamina B3) tem ação específica sobre o sistema nervoso central, colaborando com a manutenção de hormônios que regulam as substâncias químicas do cérebro e garante efeito relaxante. Esta vitamina tem ação conjunta com o ácido fólico, que atua como coenzima de diversos neurotransmissores do bom humor. Dica: fique atento ao valor calórico da fruta: cada 110 g contêm cerca de 200 calorias.

MEL. O alimento é um carboidrato fonte de triptofano, com ação calmante que induz a uma sensação de bem estar melhorando a função da serotonina no cérebro. O mel tem uma função importante como regenerador da microflora intestinal, quando combinado aos lactobacilos presentes no intestino. Sabe-se que mais de 90% da serotonina é produzida no intestino, portanto o mel ajuda a manter a integridade intestinal colaborando com uma melhor regulação neuro-endócrina, com mais serotonina e mais disposição e sensação de prazer.

NOZES. Estas oleaginosas possuem vitamina B1 (tiamina), que ajuda a converter glicose em energia. Também imita a acetilcolina, neurotrasmissor que possui um papel nas funções cerebrais relacionadas com memória e cognição. Também carrega o Inositol (fosfatidilinositol), substância reconhecida como parte do complexo B, que é necessário para o correto funcionamento dos neurotransmissores serotonina e acetilcolina.

TOFU. É o queijo à base de soja. Com muitos nutrientes, o tofu tem o dobro de proteínas do feijão e 45% menos calorias que o queijo minas. Importante fonte de magnésio mineral que atua na regulação do metabolismo cerebral e participa da metabolização de alguns aminoácidos. "A deficiência de magnésio resulta em fadiga e deficiência de enzimas envolvidas na produção de energia", explica Lucyanna. Meia xícara de tofu tem em média 110mg desse mineral.

ÔMEGA 3. Os peixes de água fria (salmão, atum, cavalinha) são considerados excelentes fontes de ômega 3 , um ácido graxo com efeito protetor sobre os neurônios. A relação de consumo desse ácido graxo e a felicidade está no aumento na produção dos receptores de neurotransmissores como: a serotonina, a dopamina e a noradrenalina que protegem o cérebro e o sistema nervoso central dos radicais livres, substâncias responsáveis pelo envelhecimento celular.

GÉRMEN DE TRIGO. É a parte mais nobre do trigo, que quando é refinado perde esta propriedade, e uma excelente fonte de todo aporte vitamínico do complexo B, atuando como calmante natural que diminui a irritabilidade e o nervosimo. Tem inositol, presente nas membranas celulares como fosfatidilinositol, que é necessário para o correto funcionamento dos neurotransmissores serotonina e acetilcolina. "Também carrega o ácido pantotênico, a vitamina B5 ou vitamina anti-estresse que atua na síntese da acetilcolina, conferindo melhor adequação dos impulsos nervosos e das funções cerebrais", aponta a nutricionista.

CANELA. Rica em polifenóis e antioxidantes, esta especiaria melhora a atividade da insulina, ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue e reduz a compulsão por carboidratos e doces. Assim, colabora para evitar o sobrepeso e o acúmulo de gorduras na região abdominal e mantém a produção de serotonina em equilíbrio.

LENTILHA. É fonte de proteínas vegetais e cálcio, contribuindo significativamente para a regulação da flora intestinal. O equilíbrio do cálcio e magnésio no organismo atua no metabolismo cerebral e na produção de neurotransmissores, como serotonina e dopamina, responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar.

CHÁ VERDE. A bebida afasta os riscos do estresse oxidativo, que é a deficiência de substâncias antioxidantes no organismo, trazendo como consequências doenças como a obesidade e até depressão. O chá verde é rico em polifenóis, nutrientes antioxidantes que atacam os radicais livres das células cerebrais, mantendo a sua atividade neuroprotetora, diminuindo a probabilidade de inflamação cerebral e favorecendo sensação de bem-estar.

Fonte: Minha Vida

Os benefícios da linhaça

A linhaça é uma semente extremamente rica e considerada um alimento funcional, ou seja, além de nutrir, tem propriedades benéficas para a saúde e qualidade de vida, podendo agir na prevenção de doenças. Ela possui proteína, gorduras insaturadas (ômega 3 e 6), fitoestrógenos (lignanas), proteínas, vitaminas A, E, B1, B6, potássio, magnésio, fósforo, cálcio, ferro, cobre, zinco, manganês e selênio.

Devido às substâncias presentes, a linhaça é considerada antioxidante (atua no combate a ação dos radicais livres), rejuvenescedora e combate as obstruções nas artérias. Além disso, é antiinflamatória, ajuda no controle do colesterol ruim” (LDL) e da pressão arterial, previne doenças cardiovasculares e é utilizada no tratamento de artrite reumatóide, psoríase, esclerose múltipla e lúpus.

Por conter fibras solúveis e insolúveis, a semente melhora o funcionamento intestinal, previne e controla o diabetes, proporciona saciedade e é coadjuvante no emagrecimento. Desempenha papel no equilíbrio hormonal, alivia os sintomas da TPM, menopausa e atua na prevenção do câncer. Auxilia na diminuição da retenção de líquido e influencia na saúde da pele e do cabelo, sendo indicada para peles secas, manchas, acne e eczema, e útil no tratamento de caspa e calvície.

A linhaça, se usada como semente, funciona como fibra, para melhor funcionamento intestinal. Ao triturá-la, transformando-a em farelo, você não apenas aproveita a fibra, mas, também, expõe o conteúdo que se encontra no interior da semente, sendo este o responsável pelas outras propriedades citadas.

Assim, para usar a linhaça de jeito mais proveitoso e completo, é melhor na forma de farelo. Este pode ser adicionado nas saladas, no arroz, no feijão, em sopas, em frutas, iogurtes, ou de acordo com a sua preferência. Você pode também colocar de molho em água de um dia para o outro e, na manhã seguinte, utilizar na vitamina ou da mesma forma que o farelo.

Fonte: Andressa Jasmin. Nutricionista formada pela Universidade Federal do Rio  (UFRJ) e especialista em Nutrição Clínica Funcional. Responsável pelo site Bem Leve.

Vitamina D: saúde que vem do sol

A vida moderna, agitada e, geralmente, enclausurada em escritórios à prova de luz natural, nos afasta do sol. Também o medo das complicações provocadas pelo excesso da exposição nos faz evitá-lo. Não raro, a ciência e a medicina nos confundem. Isso acontece com a vitamina D, por exemplo, produzida pelo organismo, principalmente, a partir da exposição à luz solar.

Psoríase, doenças cardíacas e autoimunes, depressão, insônia, artrite, fibromialgia, autismo, diabetes e outras enfermidades podem ser prevenidas com a vitamina D. Mas, para isso, é preciso tomar sol. “Tomar sol faz as pessoas se sentirem melhores e deixa os ossos fortes, prevenindo fraturas no futuro”, explica Michael Holick, endocrinologista, professor e pesquisador.

Clique aqui e leia a matéria na íntegra

Dicas de nutrição e saúde

A cartilha nutricional da Petrobras traz ótimas dicas para se ter uma alimentação saudável e maior qualidade de vida.  A cartilha também traz informações sobre higienização dos alimentos e opções de receitas rápidas e deliciosas.

Cartilha Petrobras  - clique aqui

Sugestões de livros

Em sua coluna, Gilberto Scofield Jr. indica dois livros que ajudam a compreender os protestos no Rio de Janeiro.

Polícia e cidadania

Por Gilberto Scofield Jr.

Esbarrei em dois livros que ajudam a enxergar, em níveis mais profundos, as manifestações no Rio: do protesto dos moradores da Maré à gritaria na porta do governador Sérgio Cabral, no Leblon, passando pela marcha dos moradores de Rocinha e Vidigal pela Niemeyer. Um dos livros é “Cidadania, um projeto em construção”, organizado por André Botelho e Lilia Schwarcz. Ele reúne ensaios sobre minorias, Justiça e direitos nos centros urbanos brasileiros.

 

O outro é “Até o último homem”, organizado por Felipe Brito e Pedro Rocha de Oliveira, com ensaios sobre a administração policial das comunidades cariocas pós-UPP e as ações de segurança anteriores.

 

 

O primeiro traz o debate sobre direitos humanos e diferenças sociais, raciais, religiosas e de gênero a partir de uma visão sociológica da Academia. O segundo avalia a ação policial no Rio a partir de uma visão de dentro das comunidades.

Curiosamente, cada um com seu viés, os livros convergem para exibir o grau de hipocrisia e má vontade com que todos tratam — os cariocas e seus governos — o que não é status quo. Pobres, negros, mulheres, gays, moradores periféricos e de favelas permanecem no Rio, em pleno século XXI, em constante batalha por inclusão. É óbvio que ninguém precisa ler os livros para perceber o fenômeno, mas a maneira como essa conclusão é construída nos ensaios é especialmente relevante numa cidade em transformação como o Rio. Afinal, é preciso pensar o pós-pacificação. E apesar do trabalho da UPP e da inegável sensação de mais segurança, a ideia de “Cidade Partida” — brilhantemente cunhada pelo querido Zuenir Ventura em 1994 e que vai bem além da questão da violência — continua sendo uma triste realidade.

Em particular, os dois livros trazem boas reflexões sobre a necessidade de mudanças na nossa polícia, um assunto que cresceu em importância depois da onda de protestos. O tema precisa ser mais debatido pelos cariocas, especialmente agora, em meio ao processo de desmantelamento das redes ostensivas do crime organizado — pela mesma polícia. E em meio a bizarras ligações entre as milícias e a política tradicional. Os ensaios também desafiam a lógica da segurança da ocupação policial pura e simples, sem a devida ocupação político-jurídica das áreas de conflito, com oferta de serviços que resgatem a cidadania.

Em “Cidadania”, no ensaio “Violência e crime: sob o domínio do medo na sociedade brasileira”, o sociólogo Sérgio Adorno vai cirurgicamente no ponto: “As agências policiais custam a reconhecer a necessidade de reforma institucional, seja em suas práticas de policiamento repressivo e preventivo, seja nas técnicas de investigação policial, assim como nas suas formas de recrutamento e formação profissional de seus quadros. Muitos policiais persistem acreditando que o problema do controle do crime e da violência é de exclusiva competência das autoridades policiais, daí as demandas em torno de mais armas e reaparelhamento das forças. Ignoram que segurança pública é, cada vez mais, objeto de planos de ação que envolvem não apenas conhecimento especializado, mas também parcerias entre governos e organizações da sociedade civil”.

"Até o último homem” peca por certa ingenuidade esquerdista. Em um trecho, diz que a pacificação é “ditadura das elites”, mas ignora a rotina sob o jugo do tráfico, tolerado com certa complacência. Em outro, equipara polícia a milícia, como se fossem duas cabeças opressoras da mesma hidra. A imagem pode ser boa, mas polícia é instituição de Estado. Admite — e precisa de — controle. Milícia é falta de Estado. É crime puro e simples. Mas o livro acerta mais do que erra ao diagnosticar que as UPPs não acabaram com as violentas incursões do Bope nas comunidades pacificadas (era disso que reclamava a Maré). Ao denunciar a persistência do tráfico e como a corrupção policial ainda é um risco. Ou a explicar como a militarização da ocupação é opressora aos moradores.

Como diz Adorno, a pacificação não é somente policial. E não é só ocupação. É processo.

Sempre fui um fã dos pratos de bacalhau do Bar do Serafim, no Baixo Alice. O boteco ainda serve uma comida portuguesa excelente, mas a coisa desanda quando os garçons desaparecem ou te ignoram e você tem de levantar para pegar o cardápio no balcão. Garçom é para olhar para o cliente, não para a TV. Fonte: O Globo.

A AME/RJ recomenda a leitura dos livros “Cidadania, um projeto em construção” e “Até o último homem”

Você sabe lavar as mãos corretamente?

15 segundos é o tempo necessário para lavar direito as mãos. Estudo da Universidade Estadual de Michigan, nos Estados Unidos, aponta que 95% das pessoas não realizam a tarefa de forma adequada e, por isso, estão sujeitas a contrair doenças como gripe, diarreia e conjuntivites.

Publicado na revista cientifica ‘Journal of Environmental Health’ dessa semana, o estudo analisou o comportamento de 3.479 pessoas depois de utilizarem o banheiro em locais públicos. Delas, 33% não usaram sabão e 10% sequer molharam as mãos após deixarem a cabine.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda lavar as mãos e pulsos, esfregando muito bem por um tempo de 15 a 30 segundos. 

ORIENTAÇÕES

ANTES DE LAVAR - Retire acessórios como anéis, pulseiras e relógios, que carregam sujeira e dificultam a higienização correta da pele. 

ENSABOANDO - Com 5 ml de sabão, faça movimentos circulares esfregando as palmas e o dorso das mãos. Não se esqueça limpar o espaço entre os dedos, os punhos e polegares. 

SECAGEM - Utilize papel toalha descartável para secar as mãos e para fechar torneiras manuais. 

Fonte: O Dia.